Miastenia Gravis

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Miastenia Gravis

Mensagem  Rachell_TPM em Qua Abr 06, 2011 10:29 am

Miastenia Gravis

Miastenia gravis (MG) é uma doença autoimune da porção pós-sináptica da junção neuromuscular, caracterizada por fraqueza flutuante que melhora com o repouso e piora com exercício, infecções, menstruação, ansiedade, estresse emocional e gravidez. A fraqueza pode ser limitada a grupos musculares específicos (músculos oculares, faciais, bulbares) ou ser generalizada. A crise miastênica é definida por insuficiência respiratória associada a fraqueza muscular grave.
Na maioria dos pacientes, MG é causada por anticorpos antirreceptores de acetilcolina (Ach). O papel destes anticorpos na etiologia de MG foi claramente estabelecido nos anos 70, quando a plasmaférese provou ser eficaz na remoção dos anticorpos e na consequente melhora funcional por mais de 2 meses. Verificam-se também alterações anatômicas bem estabelecidas, tais como aumento do tamanho da junção neuromuscular e diminuição do comprimento da membrana pós-sináptica.
O tratamento da doença objetiva o controle dos sintomas motores característicos, a diminuição das exacerbações, o aumento do período em remissão e o tratamento das crises miastênicas.
As decisões do tratamento são baseadas no conhecimento da história natural da MG em cada paciente e na previsão da resposta à forma específica de terapia. Os objetivos são individualizados e de acordo com a severidade da fraqueza, o sexo, a idade do paciente e ao grau de comprometimento apresentado.
Segundo a Fundação Americana de MG, não há cura conhecida para MG, mas um tratamento efetivo pode levar a uma melhora espontânea e até mesmo à remissão em alguns pacientes. As medidas incluem: agentes anticolinesterásicos, corticosteróides e agentes imunossupressores, que podem ser usados para suprimir a ação anormal do sistema imune. Imunoglobulinas intravenosas são algumas vezes utilizadas para afetar a função ou produção de anticorpos anormais também. A timectomia é outro tratamento usado em alguns pacientes e a plasmaférese, ou troca do plasma, pode ser útil, uma vez que remove os anticorpos anormais do plasma do sangue.
Os princípios que fundamentam a prescrição de exercícios terapêuticos nas doenças neuromusculares (DNM) incluem manutenção da força muscular (respeitando as limitações do processo da doença) e prevenção da atrofia. Pesquisas mostram que o fortalecimento de MMII e programas de exercícios aeróbicos de baixo impacto podem ser benéficos a pessoas com leve a moderada MG ou DNM.
O exercício terapêutico atua como ser uma estratégia efetiva na redução da fadiga generalizada e de variáveis psicológicas, como raiva, depressão, tensão e confusão.
Referência Bibliografica:
  • Revisão da Fisioterapia na Miastenia Grave, Revista Movimenta; Vol 1, N 1 (2008)
  • Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. Miastenia Gravis. Portaria SAS/MS no 229, de 10 de maio de 2010. (Retificada em 27.08.10)


Rachell Themístocles P. Madeira
Acadêmica de Fisioterapia 3º Período
FACEMA

Rachell_TPM

Mensagens : 2
Data de inscrição : 27/03/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum